top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlysson Camargo

O olhar cinematográfico nas fotografias de Lu Brito


A fotografia logo se transformou em cinema e ganhou as grandes telas com os irmãos Lumière, em 1895. De lá pra cá, muitas coisas aconteceram, mas percebo que o cinema devolveu para a fotografia uma imagem cinematográfica.


O trabalho de Lu Brito oferece uma visualidade panorâmica, aqui chamada de cinematográfica, justamente pela capacidade de contar narrativas visuais estáticas, mas que são continuadas por meio do nosso olhar em contato com suas fotografias.


Essas fotografias trazem uma riqueza de cores e formas com elegância e delicadeza. No plano fotográfico tradicional, os gêneros incorporados da pintura para a fotografia estão na linha do horizonte, desde a relação dos retratos e paisagens até a natureza morta.


Entretanto, Lu Brito apresenta um novo plano para suas fotografias, o aéreo. Com esse novo suporte para a sua imagem, Lu Brito desenha narrativas visuais com barcos, pescadores e objetos. Suas fotografias ganham complexas texturas, diferentes intensidades de cor, tons e contrastes, além de composições estrategicamente planejadas e harmônicas.


A fotografia investiu pesado durante muitas décadas para criar uma imagem que se aproximasse ao máximo da realidade, a ponto de assustar seus espectadores, como no caso do primeiro filme dos irmãos Lumière.


Porém, hoje é necessário, assim como Lu Brito, ressignificar a fotografia para um lugar fora da realidade, um campo de suspensão do real, de criação do ficcional e mergulho visual.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page